they’re heading west : bio

 

HOME   MUSIC    SHOWS   PHOTOS    VIDEOS   ABOUT     NEWS   


1.


Os They’re Heading West são o do it yourself  itself: discreto, sólido e eficaz.

Quase assim: “Queremos ir à Costa Oeste dos E.U.A e tocar lá. Então juntamos uns dinheiros, partilhamos carro e quarto, marcamos uns concertos onde der para marcar e vamos.” E foram.

Consta que gostaram e decidiram repetir a viagem, desígnio principal da banda que o incrustou no próprio nome. Esta segunda vez teve direito a brinde: sobraram uns $$$$ prontamente aplicados em dois dias de estúdio. Quase assim: “Vamos fazer um disco. Acabamo-lo em Lisboa.” Felizmente que cá alguém avançou as patacas suficientes para o acabar logo que recuperaram do jetlag.



2.


!!!!!!!!!!!!!! :


Frankie Chavez, Nuno Prata, Samuel Úria, Afonso Cabral, Salvador Menezes, Tomás Sousa, Joana Sá, Luís José Martins, Capicua, Ana Bacalhau, Zé Pedro Leitão, Peixe, Ana Moura, João Gomes, Luísa Sobral, JP Simões, Bruno Pernadas.


Não, não é o USA for Africa nem um disco jubilatório de um artista consagrado com uma grande editora por trás. São os melhores e mais vibrantes compositores(as), cantores(as) e instrumentistas, enfim, sinceramente, os melhores músicos da actualidade nacional. É o primeiro álbum de uma banda e esta é a lista de convidados que nele participa.


???????????


O do it yourself explica: para juntarem os tais dinheiros os They’re Heading West tocaram meses a fio, primeiro na Barraca, depois e agora na Casa Independente, sempre com um convidado diferente em cada concerto. Os que participam neste disco são alguns deles. Naturalmente.



3.


Naturalmente isto seria apenas uma história feliz se o que está dentro deste disco não fosse o exagero brutal do prazer de criar e tocar música.

Quase assim: todas as declinações da americana, da quase rural à quase urbana, tradicional, indie, rock, rap ou jazzy, a baterem de frente, sem apelo nem agravo, com canções portuguesas que circulam na mesma autoestrada livre, despudorada e, most importantly, sem portagens.

O acidente é bonito, faz um estrondo dos demónios, os passageiros exultam com o embate. As viagens recomeçam e multiplicam-se, os acidentes sucedem-se, ganham vida própria, tornam-se intimistas e espalhafatosos. Há quem pare para respirar e pedir boleia, há quem pule de alegria, há quem já não pare. Já não há quase nem meio quase.

Há uma banda que fez um disco. THEY’RE HEADING WEST.



João Nicolau



They’re Heading West’s first record was released early in October 2015. To say it’s been in the works for four years is not a big overstatement. That’s how long it took to put on thirty shows in Lisbon, collaborating with as many guests, and two tours in North America. To choose songs they had previously released with their other bands and reinvent them. To rehearse, alone and with each guest for the monthly sessions they hold in Lisbon (now at casa Independente, before that at Barraca) finding the right way to play the songs to share live. To record in Washington State, in Anacortes, with Nicholas Wilbur at The Unknown (Mount Eerie’s studio) and back home in Lisbon, with Eduardo Vinhas, at 15-A.


They’re Heading West is Mariana Ricardo (Minta & The Brook Trout, Silence is a Boy, Domingo no Quarto), Sérgio Nascimento (Deolinda, Sérgio Godinho, Humanos), Francisca Cortesão (Minta & The Brook Trout) and João Correia (TAPE JUNk, Julie & The Carjackers). Four voices, ukulele, tiny drum kit, guitar, bass – stuff that will fit the trunk of any car with no hassle. Three singer-songwriters and an extremely versatile drummer. They enjoy playing each other’s songs, and those of their guests, immensely. They head west whenever they can.


Guest performers in past sessions and the new record include Ana Bacalhau, Capicua, Frankie Chavez, JP Simões, Peixe, Bruno Pernadas, Nuno Prata, Luísa Sobral, Samuel Úria and You Can’t Win, Charlie Brown.



UPCOMING SHOWS / PRÓXIMOS CONCERTOS


28 de JUNHO · CASA INDEPENDENTE, LISBOA · 19h30
THW convidam JULIE & THE CARJACKERS